Coluna – Odacy Amorim incomoda?

Odacy é possível candidato a prefeito de Petrolina. (foto: Reprodução Internet)

Quando olhamos para o cenário pré-eleitoral em Petrolina é possível perceber que uma polarização está formada. E o mais interessante de notar nesse processo é que todos vieram do mesmo ninho. De um lado Miguel Coelho, prefeito de Petrolina, que será candidato a reeleição. Não há dúvidas e nem espaço para aquele charminho político de dizer que está avaliando. O comportamento da sua base aliada entrega que a meta é ficar por oito anos. No outro polo temos Odacy Amorim. Ex-vereador, vice-prefeito, prefeito quando Fernando Bezerra Coelho, cabeça da sua chapa, seguiu para ser secretário de desenvolvimento econômico do então governador Eduardo Campos, ex-deputado estadual, atual presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco.

Este cargo atual ocupado por Amorim tem, inclusive, tirado o sono de quem viu votos no interior do município escorrerem pelas mãos no ano passado e trocou de secretário para tentar reverter o jogo. Também gerou tanto ciúmes na base aliada do próprio governador Paulo Câmara, que gerou discurso na tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco por um convite para evento que não chegou em tempo hábil. Nesse episódio surgiu uma tabelinha insperada, onde vereadores da base de Miguel Coelho se revesavam para destacar a insatisfação de Lucas Ramos com a administração do IPA. Pareciam amigos de infância (intrauterinos). Mas Odacy Amorim, alvo das críticas do aliado preferiu minimizar e fingir que Lucas Ramos não falava sobre ele. “Era sobre os secretários”, iludia-se.

E falando na Câmara de Petrolina, lá Odacy tem dois parlamentares do mesmo partido que o seu. Mas parecia não ter. Gilmar Santos e Cristina Costa, desde sessões anteriores assistem as acusações sistemáticas como se os adversários falassem de alguém muito distante, até desconhecido, que não merecesse defesa. Na sessão de ontem estava presente apenas o professor Gilmar e este justificou que não defendia pessoas. Mas Mariele Franco e Lula devem ter ultrapassado o critério estabelecido pelo parlamentar.

Mas seria Odacy esse perseguido injustiçado? É estranho ter um evento institucional com a divulgação de agenda feita em material onde consta a foto do presidente do órgão em destaque, com sua logomarca de campanha e em segundo plano o nome do IPA e os locais onde ele estaria presente.

Porém sobre isso, só a Justiça Eleitoral poderá fazer o julgamento formal e a população o julgamento para escolha. Aos demais resta apenas comentar, entretanto como disse o jornalista Millôr Fernandes, “quando todo mundo quer saber é porque ninguém tem nada com isso”.