Servidores demitidos registram B.O. contra Prefeitura de Cabrobó

(foto: Mário Souza/Nossa Voz)

Um grupo de servidores demitidos da Secretaria Municipal da Mulher Cultura Esporte e Lazer de Cabrobó procurou a 211ª Delegacia de Polícia Civil para registrar um Boletim de Ocorrência contra a Prefeitura do Município. Os servidores, que prestavam serviço por meio de contrato temporário de trabalho, foram dispensados após o fim das relações políticas entre o presidente da Câmara, Dim Saraiva (PP) e o prefeito Marcílio Cavalcante (MDB). A Secretaria era gerida por Virlane Saraiva, irmã do vereador, que foi exonerada do cargo pelas redes sociais.

Segundo Virlane, os funcionários foram demitidos sem o pagamento de três meses de salários atrasados. No entanto, os dados computados no Portal da Transparência dão a entender que os proventos da teriam sido pagos. “Conversamos com vereadores e pedimos um Advogado, porque para entrar com ação tinha que ter um Advogado. Na Secretaria da Mulher Cultura Esporte e Lazer quando eu fui demitida todos os funcionários foram juntos. Todos os funcionários com três meses de atraso no pagamento e ainda mais uma funcionária que tinha licença maternidade e também está com atraso. Então nós conversamos na Promotoria e foi dito que tinha que fazer um B.O. coletivo”.

Ainda segundo Virlande, “o delegado pediu para acessar o site do Portal da Transparência, quando nós acessamos ele viu que tudo que nós levamos estava correto e o que ele falou que o site da Transparência não poderia estar atualizado se ele não fez o pagamento ele citou até um exemplo assim do Estado quando o estado paga os dois dias após é que entra o contracheque sistema. Nesta quarta-feira (18) vamos juntos com o Delegado da Civil, o Advogado Antônio Neto e todos os funcionários para uma reunião com Juiz e o Promotor”.

(foto: Mário Souza/Nossa Voz)

O líder do governo na Câmara, vereador Jorge Cavalcante disse que o executivo está analisando que pode ter acontecido com os dados no Portal da Transparência. Ele destacou, que o prefeito esta determinado a efetuar os pagamentos.

“Essa questão de procurar a justiça, cada um pode e deve procurar os seus direitos, mas que o prefeito está correto em termos de querer pagar e vai pagar. Eu conversei com ele e ele vai efetuar o pagamento sim na melhor brevidade possível na maior urgência é possível. Assim que tiver condições e ele nunca se negou. Então ele não se negou. Você sabe que a pessoa só paga quando tem, então isso daí não vai realmente acarretar, ninguém vai ser obrigado, a própria Justiça ela não vai obrigar a pagar se ele não tiver o dinheiro. Inclusive eu conversei com a Secretária e alguns funcionários aqui e vai ser efetuado sim o pagamento assim que possível”, defendeu o parlamentar.

Recentemente, o prefeito Marcílio Cavalcante assinou um Termo de Ajustamento de Conduta, no qual se comprometia a efetuar o pagamento de salários atrasados. No último dia 10, o executivo cumpriu parte do acordo. No entanto, o documento não incluía os servidores demitidos da Secretaria da Mulher.