Ao contrário de Odacy, Cristina quer bola cheia em debates sobre candidatura em 2020

(Foto: Maria Lima)

Depois das recentes declarações do ex-prefeito de Petrolina, Odacy Amorim, de que o Partido dos Trabalhadores precisa murchar a bola para debater a eleição para prefeito de Petrolina, o Nossa Voz ouviu a vereadora Cristina Costa, também apontada como pré-candidata à Prefeitura Municipal. Na manhã desta terça-feira(11), a parlamentar negou já ter conversado sobre o assunto com o presidente do IPA, cobrou que questões internas do partido sejam debatidos entre os filiados e não na imprensa e, ao contrário de Amorim, Costa quer a bola cheia quando o assunto for a campanha política de 2020.

“Sábado tivemos uma reunião dentro do Partido dos Trabalhadores, o presidente do IPA esteve lá, a deputada Dulcicleide Amorim e em nenhum momento foi colocado isso. Eu sou PT, tenho mais de 20 anos de partido conheço a tramitação do Partido dos Trabalhadores e toda a discussão primeiro não vamos colocar na imprensa” repassou.

Afastando a influência da executiva estadual da legenda, Cristina frisou a importância da construção de um projeto de governo antes de confirmar quem será o escolhido para a disputa. “O PT de Petrolina é autônomo, Odacy Amorim naturalmente é um nome que pode concorrer a Prefeitura de Petrolina, não tem problema nenhum. Mas eu acho que antes de discutir isso lá fora, precisa discutir internamente. A sociedade está esperando projetos. (…) Qualquer um que venha, apresente projeto para a melhoria de vida da população”.

E sobre a opinião de Odacy sobre murchar a bola, embalada pelo desempenho da seleção feminina de futebol, Costa torce por bola cheia em todo o processo. “Deixa a bola rolar e ela tem que estar firme, tem que estar cheia, para que cada um que está ali, a população possa saber quais projetos tem para a melhorar a saúde, educação, segurança e melhorar as condições de vida nessa conjuntura nesse desgoverno, nesse momento de descrédito onde a economia está lá embaixo e principalmente nesse momento em que está estourando a corrupção dentro do judiciário”, elencou.