Artigo: A Valorização do Voto

Heitor Bezerra Leite *

(foto: reprodução)

É chegado mais um ano de eleições. É momento de verificar, uma vez mais, as justificadas reclamações contra governos, prefeitos, secretários e vereadores se confrontarem com uma programação estrategicamente articulada de inaugurações de último ano de governo, festas e favores, tudo com a finalidade de garantir mais quatro anos de poder. Será que é realmente possível fazer valer o voto responsável do cidadão de bem?
Inicialmente, é preciso que todos se conscientizem de que um candidato somente ocupa seu cargo por intermédio do voto. Então, se alguém tem condições e força para virar o jogo, este alguém é o eleitor. Para exercer o voto verdadeiramente responsável, é preciso observar, por exemplo, como andam a saúde, a educação e as ações sociais governamentais em seu município.

Com relação à saúde, atente para a qualidade com que você, cidadão e eleitor, é atendido em um posto de saúde; reflita se consegue agendar com agilidade um exame especializado, tratar de seus dentes, vacinar sua família, cuidar de seus idosos ou portadores de necessidades especiais. Se estiver satisfeito, poderá, ao votar, valer-se do instituto da reeleição, mas se não estiver satisfeito, perceba que ao eleger os mesmos, você estará renovando o contrato dos responsáveis por tudo que ora lhe falta.

Na área da educação, verifique se as escolas apresentam boas condições físicas de apresentação. Professores bem remunerados, atualizados em seus conteúdos e inseridos em uma competente proposta pedagógica costumam ser a chave do sucesso no processo ensino/aprendizagem. Se além disso os alunos possuírem material didático de qualidade e seus pais forem convidados a participar das decisões escolares, há indícios de que estamos em um bom caminho. Mas se nada disso faz parte de sua realidade, acredite, só por milagre formaremos uma geração de jovens preparados para o futuro que lhes desejamos.

A educação, compreenda, vai muito além dos muros escolares. Estudantes necessitam de transporte digno, merenda escolar adequada, proteção contra o assédio sedutor da criminalidade organizada, sobretudo nas comunidades mais vulneráveis. Viabilizar uma competente política de prevenção às drogas e conduzir o processo educacional sob os ditames da ordem, da disciplina e do respeito ao professor, fazem parte deste pacote.

A atenção a estes fatores, próprios de uma educação com valor, leva o jovem a acreditar que vale a pena ir à escola e vislumbrar um futuro melhor. As ações sociais governamentais, como as demais, não podem se reduzir aos períodos pré-eleitorais. Aproximar empresários de trabalhadores, proporcionar cursos de capacitação, incentivar e facilitar o empreendedorismo, cuidar dos que desgraçadamente caíram no mundo das drogas, criar fóruns de debates e compreender as mais legítimas demandas da população, mormente da parcela mais carente, muitas vezes sem um teto para morar, são exemplos simples de como vereadores e prefeitos podem demonstrar sua preocupação com os mais necessitados. Se seus candidatos lembram de você apenas nesta época do ano, provavelmente você não faz parte de suas prioridades, infelizmente.

É chegado mais um ano de eleições. É chegada a hora de não desperdiçar o voto. É chegada a hora de intervir decisivamente no processo eleitoral e oportunizar aos melhores candidatos a chance de mudar a vida da população. Trocar o voto por cestas básicas, botijões de gás ou favores não refletem o modelo responsável de votar. Lembre-se, a esmola que lhe oferecem hoje paga, de forma adiantada, a estrutura que sua família não terá amanhã!

A honradez, ou a sua falta, não está só com os que se candidatam, mas, também, com os que votam.

(*) Coronel Leite
Cidadão Petrolinense e Juazeirense