Conselho estadual de Assistência Social elege nova mesa diretora

(foto: divulgação SEI)

O secretário executivo de Assistência Social do Estado, Joelson Rodrigues, foi eleito presidente do Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas), função que vai ocupar durante o biênio 2019-2021. A posse da mesa diretora foi nesta segunda-feira (23), na Casa dos Conselhos, também elegeu Lourdes Viana, representando a sociedade civil, para a atividade de vice-presidente do órgão. Durante a manhã, houve ainda a composição das comissões e o nivelamento de conhecimento sobre as competências do Conselho. 

Durante a posse, Joelson agradeceu a confiança e destacou a importância de construir estratégias que permita o avanço da política da assistência social. “Aceito o posto na certeza de que não estarei sozinho na luta. É uma demanda que vai requisitar muito da nossa atuação, principalmente na situação atual em que a assistência social está inserida, mas estou aberto e disposto a isso. Para conseguirmos avançar na política pública, é necessário que nos organizemos e que, com o diálogo, a gente possa criar as estratégias”, pontuou. Em discurso, Lourdes destacou que o foco da atuação do Ceas estará nos municípios e nas gestões estadual e nacional. “Precisamos estar juntos nessa cobrança para que os usuários tenham acesso aos serviços e que esses serviços sejam de qualidade”, afirmou.

O momento teve a participação da presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), Aldenora Gonzalez, que ressaltou a responsabilidade dos conselhos em monitorar e fiscalizar a política. “Precisamos monitorar para impulsionar e melhorar o serviço. Fazendo isso, estamos ajudando a gestão a executar a política da melhor forma possível e da maneira que supra a necessidade dos usuários. Trabalhamos para uma política invisível que é feita para pessoas invisibilizadas. Por isso, precisamos nos fortalecer”, pontuou, destacando ainda a importância da união entre os membros do órgão. “É indispensável que haja unidade. A pauta de um precisa ser fortalecida por todos. É essencial o diálogo e a compreensão, pois é do controle social que deve sair as maiores estratégias de melhoria da política pública”, completou. 

Antes da posse, os membros da sociedade civil anunciaram a proposta de revezamento anual entre as representações que compõe a sua estrutura (usuários, trabalhadores e entidades) para ocupar as funções na mesa diretora. A ideia é que cada grupo consiga ter expressão executando as atividades de presidente ou de vice-presidente e colabore para que a atuação do conselho seja mais assertiva.