Estudantes e trabalhadores da educação protestam nas ruas de Petrolina

Estudantes de diversas instituições participaram do ato. (foto: Ana Cléa de Souza)

Nesta quarta-feira (15) estudantes, professores e trabalhadores da educação saíram às ruas de Petrolina-PE para protestar contra a Reforma da Previdência e também contra o bloqueio de recursos das instituições federais. A concentração foi na praça do Bambuzinho, no Centro do município.

Trabalhadores e movimentos sociais participam da greve nacional. (foto: Ana Cléa de Souza)

Entre as instituições que participam do protesto estão If-Sertão, Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Pernambuco (Sintepe), Facape, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Petrolina (Sindsemp), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e muitos movimentos sociais.

Com cartazes e palavras de ordem, os manifestantes pede, o fim do bloqueio orçamentário feito em no mês passado pelo Ministério da Educação. De acordo com o MEC, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias (aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas).

O valor total contingenciado é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo. No entanto, instituições de todo o país garantem que com esse bloqueio será impossível manter os prédios em pleno funcionamento, evitar demissões de funcionários terceirizados e sustentar as pesquisas. O protesto começou às 9h e terminou por volta das 11h30.