“Não existe nada que me desabone”, diz Télio Leite sobre decisão de Bolsonaro para a reitoria da Univasf

(foto: Milena Pacheco/Nossa Voz)

Dos 72 conselheiros, 69 participaram da eleição da nova reitoria da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), que formou a lista tríplice. Os nomes serão submetidos ao presidente da República para escolha do novo reitor da instituição. Os professores Télio Leite e Lúcia Marisy Ribeiro foram os indicados pelo Conselho Universitário (Conuni) em primeiro lugar nas listas tríplices de reitor e vice-reitora da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Télio Leite falou sobre o assunto no Nossa Voz desta segunda-feira (2).

A votação foi na última sexta-feira (29) em reunião extraordinária. Em votação uninominal e aberta, Télio Leite teve 25 votos e Lúcia Marisy, 22. Ricardo Santana de Lima ficou em segundo lugar com 17 votos. E Michelle Cristini Vieira, em terceiro com 16. Os professores Luis Valotta e Jorge Ramos, também inscritos, obtiveram zero e 11 votos, respectivamente.

“O Conselho ratificou o desejo da comunidade. Nós vencemos em primeiro turno a consulta à comunidade, vencemos entre os estudantes, professores e técnicos. E o Conselho Universitário, que tem a prerrogativa legal de elaborar essa lista, tendo em vista esse resultado, nos colocou em primeiro lugar encabeçando essa lista”, destacou o atual vice-reitor.

Agora está nas mãos do presidente, no entanto, a lista composta pelo Conselho Universitário, segue a tendência mostrada nas eleições informais. “Em anos anteriores havia um compromisso da Presidência da República em nomear sempre os primeiros colocados da consulta à comunidade, o primeiro colocado na lista tríplice. Como o atual governo tem expressado que não há hierarquia entre os três nomes, inclusive em seis oportunidades nomeou reitor que não foi o primeiro da lista, dessa vez essa etapa no Conselho Universitário terminou tendo esse destaque maior”, pontuou Télio Leite.

Apesar disso, o professor garante que está otimista quando a escolha que será feita por Jair Bolsonaro. “Eu acredito que reúno todas as condições, todas as competências. Não existe nada que me desabone. Temos serviços prestados à sociedade, a frente da gestão da Univasf desde 2012”, declarou o professor que está espera ser nomeado como reitor da instituição.