Pernambuco avança na avaliação do índice de desenvolvimento do CRAS

(foto: divulgação SEI)

O ID CRAS, um indicador nacional que busca capturar a qualidade dos serviços prestados à população por meio das unidades de atendimento, divulgado pela Secretaria Nacional de Assistência Social mostra relevante melhoria. Em Pernambuco, esse dado saiu da média 3,3 em 2017 para 3,5 em 2018. No ranking dos estados, também melhora a posição, que avança da 21º para 17º.

O ID CRAS é um indicador nacional que retrata a estrutura física, as características qualitativas e quantitativas das equipes de Recursos Humanos, bem como os serviços ofertados à população e os respectivos procedimentos mínimos necessários para uma oferta adequada. Este índice computa uma nota de 1 a 5: quanto maior, melhor a qualidade do serviço prestado por este equipamento. “Esta conquista, que não é a única deste ano, pois também tivemos melhoria no ID CREAS, se deve ao comprometimento do Governo do Estado, juntamente com as prefeituras, para permanecer num contínuo aprimoramento de serviço e de atendimento à população”, afirmou o secretário Sileno Guedes. 

Indicadores sociais ajudam a pautar agendas políticas, qualificar debates públicos e subsidiar decisões técnico-políticas. Este resultado é fruto de esforços da secretaria-executiva de Assistência Social da SDSCJ, em parceria com os municípios de apoio técnico, capacitação e divulgação das informações.

Destaca-se que este é um importante indicador para o cálculo dos recursos do IGD SUAS: Incentivo financeiro repassado pelo governo federal para apoiar a gestão do SUAS. Os dados dos municípios foram sistematizados pelo setor de vigilância socioassistencial da secretaria-executiva de Assistência Social e podem ser acessados pela internet.

Esse não é o único avanço deste ano. Em fevereiro, Pernambuco saiu 16ª para a 4ª posição na avaliação do Índice de Desenvolvimento do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (ID Creas). Para a listagem, foram avaliadas as dimensões de infraestrutura do equipamento, oferta dos serviços e benefícios à população e a capacidade de recursos humanos nas unidades. Serra Talhada, Timbaúba e Cortês são os municípios com melhores índices.