Prefeito de Trindade comenta pedido de afastamento feito pelo MPPE

(foto: reprodução)

O prefeito de Trindade, Antônio Éverton Soares Costa, comentou o pedido de afastamento solicitado pelo Ministério Público de Pernambuco. O MPPE ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa com pedido liminar pelo afastamento dos cargos do prefeito e do gerente do Fundo Municipal de Aposentadorias e Pensões (Fumap), Antônio Marcos Delmonde Leite.

O MPPE também requereu o bloqueio judicial dos bens dos dois, junto com os bens das gestoras dos Fundos Municipais de Saúde, Suênia Santos, e de Assistência Social, Rosilene de Lucena, a fim de garantir o ressarcimento de um débito de R$ 3,2 milhões causado pelos réus ao instituto previdenciário municipal.

Éverton Costa disse que ainda não recebeu notificação da justiça sobre o afastamento. “Ainda não fui notificado pelo juiz de direito de Trindade e estou aguardando a notificação para tomar as medidas cabíveis. Quero dizer que a população pode ficar tranquila porque esse recursos que me acarretam de R$ 3, 200 milhões não está em nenhuma das contas da gente, nem da minha família e nem de ninguém que foi citado aí”, garantiu.

Ainda segundo o gestor do município, uma auditoria constatou que não houve desvio. “Já houve auditoria no FUMAP (Fundo Municipal de Aposentadorias e Pensões de Trindade), através do auditor de Petrolina que constou que não tem esse desvio. O que tá faltando é pegar umas contas de patronal porque o recurso não deu”, informou Éverton Costa.

Ao finalizar a entrevista, o prefeito declarou: “Confio na Justiça divina e confio também na Justiça dos homens”.