Rubem Franca afirma que Compesa só fez 3% da rede de esgoto; Companhia fala em 48% com cobertura de 80%

(foto: Milena Pacheco/ Nossa Voz)

No Nossa Voz desta sexta-feira (8), o diretor presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Petrolina (ARMUP), Rubem Franca falou sobre a minuta do edital, elaborada pela Fundação Getúlio Vargas já está pronta e será apresentada em audiência pública na próxima terça-feira (12).

“Gostaria de convidar a população de Petrolina para assistir a explanação da minuta do edital de licitação que vai licitar a nova concessionária de serviços públicos de saneamento de Petrolina”, comentou Rubem Franca que destacou que foi um processo longo de quase dois anos de estudos até a finalização da minuta de edital.

Segundo o levantamento feito pela Armup, apenas 3% da rede coletora de esgoto de Petrolina foi feita pela Compesa. “Nós investigamos toda a cidade. A prefeitura de Petrolina executou 77% de toda a nossa rede e apenas 3% foi feito pela concessionária. O restante foi feito pelas empresas privadas”, explicou o diretor presidente Rubem Franca.

Questionado sobre a tentativa de Compesa de fazer obras de saneamento no Dom Avelar, ao mesmo tempo em que a prefeitura já iniciou as obras de reparo da rede existente no bairro, Rubem Franca informou que a companhia acatou a determinação do Ministério Público e não vai entrar na área até que a prefeitura finalize os serviços. “Essa área que a prefeitura está trabalhando é uma área que já existe o saneamento que não funciona há mais de 10, 15 anos. É uma área que possui mais de 110 quilômetros de rede. A Compesa poderia ter recebido e colocado para operar. A prefeitura está trabalhando nessa área com R$ 4,5 milhões e vai colocar para funcionar”, garantiu o representante da Armup.

O outro lado
Na manhã desta sexta-feira, a Compesa contestou a informação repassada pela Prefeitura de Petrolina sobre os índices de cobertura de esgoto na cidade executados pela Companhia. “Esclarecemos que, nos últimos dez anos, o Governo do Estado investiu no município R$ 200 milhões em obras de água e esgoto, que contribuíram na melhoria da qualidade de vida e da saúde dos petrolinenses. A Compesa executou, entre os anos de 2009 e 2019, 215 quilômetros de implantação/substituição de rede coletora de esgoto, o que corresponde a 48% do esgotamento sanitário implantado no município, elevando o índice de cobertura para 80%. Inclusive, vale destacar, que Petrolina está entre as 25 cidades brasileiras com os melhores índices de cobertura de esgoto”, diz a nota.

Ainda segundo a nota da companhia, “está em processo de licitação para contratação de empresa para executar obras de implantação do sistema de esgotamento sanitário nos bairros Dom Avelar e Antônio Cassimiro, para completar a universalização da cobertura de esgoto na cidade. O investimento será de R$ 38 milhões, assegurados pela Caixa Econômica Federal. Além disso, é importante esclarecer que a Compesa teve que refazer serviços de saneamento mal executados pela Prefeitura em alguns bairros da cidade. No São Gonçalo, por exemplo, a obra foi refeita e a Companhia já está operando o sistema. No João de Deus, os problemas de obstrução na rede coletora de esgoto são constantes e exigem uma ação frequente da Compesa, uma vez que a tubulação implantada foi de má qualidade. Nos bairros Jatobá e Fernando Idalino, a Compesa está com obras para corrigir a tubulação instalada e no Henrique Leite, a Compesa também precisará refazer os serviços que foram executados”.