Racha na bancada da situação e portas fechadas para a imprensa marcam disputa por comissões

Vereador Ronaldo Silva diz que está sendo perseguido. (Foto: Nossa Voz)

Um dos principais assuntos abordados na abertura do ano legislativo na Câmara de Vereadores de Petrolina-PE foi a formação das Comissões permanentes. A expectativa para essa reunião já estava grande nos bastidores da Casa Plínio Amorim, mas na sessão de ontem (05) o acirramento dos ânimos ficou ainda mais evidente e contaminou a bancada da situação.

O vereador Ronaldo Silva (DEM) declarou na tribuna que estava sendo perseguido e injustiçado por colegas da bancada do prefeito Miguel Coelho (PSB). “Eu não sei porque é que me perseguem igual caça às bruxas. Porque tem gente que não tem brilho próprio e quer brilhar com o brilho dos outros. Vamos trabalhar, vamos deixar de ‘picuinha’. É um grupo só, mas às vezes a gente tá aqui e acha que nós somos de oposição. Todos são iguais, todos têm capacidade pra assumir qualquer comissão”, desabafou o vereador. Ronaldo Silva também deixou no ar alguns  questionamentos: “Por que alguns colegas não querem Ronaldo Silva nas Comissões de Finanças e na Redação e Justiça? Que medo é esse?”.
    
O fato é que a reunião de hoje (06) é de portas fechadas e sem a presença da imprensa. Resta saber porque uma reunião tão importante não pode contar com cobertura jornalística. Será medo de expor ainda mais que a bancada da situação estaria fragilizada, com muita ciumeira? Pelo menos o resultado da eleição deve dar um norte sobre qual lado tem mais força.

Resta ainda aguardar as revelações prometidas pelo vereador Ronaldo Silva que aconteceriam logo após a escolha das Comissões. “Depois das comissões eu vou desmascarar gente aqui. Porque vocês aqui tem que saber que às vezes vocês estão sendo usados pelos próprios companheiros”, alfinetou.