Petrolina: Motoristas de aplicativo protestam e pedem revisão do decreto municipal

(foto: Karine Paixão/Nossa Voz)

Motoristas de aplicativos se reuniram na manhã desta terça-feira (06), em frente ao Parque Josepha Coelho em Petrolina para protestar contra alguns pontos da regulamentação do serviço no município. De acordo com representantes da categoria, o protesto não tem cunho político e o objetivo é adiar a data de vigor do decreto municipal e reabrir o diálogo com a prefeitura de Petrolina.

Para o motorista Jefferson Santos, o decreto impõe obstáculos ao trabalho dos condutores que atuam em Petrolina. “O decreto não dá o direito do motorista trabalhar. Um dos pontos é que nas outras cidades pede-se oito anos do veículo, só em Petrolina o carro tem que ter cinco anos”, reclamou.

Ainda segundo o motorista, no decreto foram impostas várias penalidades aos motoristas. A exemplo de multas se o sistema do aplicativo não estiver funcionado, se o carro estiver sujo, se o motorista abastecer na presença dos passageiros, até a exigência de uso de uniforme. “Somos parceiros das empresas e não empregados”, destacou Jefferson Santos.

Outros pontos que revoltam os motoristas são: a exigência de um rasteador e o pagamento de R$300 de um seguro que deve onerar os custos dos trabalhadores. “Quem trabalha com a Uber e a 99 já tem Seguro App. Se eu tenho uma plataforma que já tem seguro, porque eu também vou ter que pagar novamente?”, questionou Santos.

De acordo com os manifestantes, atualmente o município conta com mais de 3.500 motoristas cadastrados. “A prefeitura tem que sentar com a gente e rever os conceitos desse decreto”, explicou o motoristas pedindo o adiamento do decreto para que o diálogo com a prefeitura será reiniciado.