Ação truculenta do 2º BIESP foi motivo de denúncia por vendedora de Acarajé

Uma vendedora do bairro José e Maria denunciou uma ação realizada por policiais do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp), segundo ela, “truculenta”, na noite da última segunda-feira (6). Ela estava com o marido quando presenciou momentos de pânico.

O casal retornava do trabalho com um colega responsável pelo delivery, quando por volta de 23h uma viatura do 2º BIEsp deu ordem de parada ao esposo da leitora, que parou em frente de sua residência. A partir desse momento, alega a mulher, o que se viu foi uma série de abusos dos PMs.

“A polícia seguiu ele e deu ordem de parar, ele parou na frente de casa. O pessoal desceu, encheu de policial na rua. Pedi a eles para não entrarem em casa porque meu pai tem pressão alta, para ele não ver qualquer tipo de situação. Eles empurraram a porta, me chutaram e empurraram e espancaram ele no sofá da minha casa. Depois jogaram na viatura e levaram para a delegacia”, afirmou.


Segundo ela, os policiais também teriam feito buscas no imóvel e veículo do casal,dentro da sua residência, inclusive quebrando móveis. Ela conta ainda que, eles apontaram uma arma para ela. Toda ação foi presenciada pelos vizinhos , os quais a todo momento diziam que as vítimas não eram bandidos.

“Foi uma ação acima do limite, você chega do seu trabalho, tem arma apontada e ser espancado de dentro de sua casa… Bateram no meu esposo e no amigo dele na calçada._ _A gente está com medo da polícia, nessa rua roubaram várias casas, mas a gente tem medo é da polícia”, continuou.

Já o BIESP, esclarece a ação através de nota.

A Polícia Militar esclarece que, de acordo com o comandante do 2º BIESP, policiais militares estavam em rondas, na última segunda-feira (06), para a captura de suspeitos de assaltos, no bairro do Caminho do Sol e adjacências. Ao chegarem no bairro Vila Eulalia, visualizaram um veículo suspeito, ao dar ordem de parada, o motorista não obedeceu. O efetivo fez o acompanhamento que só parou em frente a uma residência, ao desembarcar o condutor e passageiro não obedeceram a ordem para que fosse realizada a abordagem pelos PMs. Eles desacataram e agrediram o efetivo. Todos envolvidos, policiais e suspeitos, fizeram exame de corpo de delito e em seguida foram encaminhados para a Delegacia de Plantão para serem adotadas as medidas cabíveis.

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMPE (5ªEMG)