Miguel detalha recursos federais, nega ter recebido socorro de R$ 32 milhões e critica quem repassou informação: “Picaretas”

(Foto: Arquivo/Reprodução internet)

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, negou que a cidade já tenha recebido os valores previstos no Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus aprovado no Congresso Federal e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no mês passado. Em entrevista ao radialista Edenevaldo Alves na tarde de ontem (03), Coelho chamou de “picaretas” aqueles que afirmaram que Prefeitura de Petrolina teria acesso aos quase R$ 32 milhões previstos na listagem de valores repassados aos municípios.

“É importante para desmascarar muito picareta que fica falando mentira com informação séria e termina gerando confusão na cabeça das pessoas”, disparou. “Os quase R$ 32 milhões fazem parte do auxílio que o presidente sancionou no dia 27 [de maio] e a primeira parcela, porque esse auxílio será dividido em quatro parcelas, está prevista para o dia 10 de junho. Então você vai pegar R$ 32 milhões, dividir em quatro parcelas que serão pagas até setembro. Então 32 dividido por quatro vai dar algo em torno de R$ 8 milhões”.

O gestor municipal também fez questão de detalhar os valores depositados pelo Governo Federal até o momento. “O que efetivamente Petrolina já recebeu, foi um primeiro auxílio emergencial, em meados de abril, quando o Governo Federal repassou aqueles R$ 4 bilhões para os municípios de todo o Brasil e para Petrolina ficou algo em torno de R$ 4,1 milhões. Então, esse dinheiro de fato nós recebemos em abril e agora no final de maio o Ministério da Cidadania depositou o valor de aproximadamente R$ 2 milhões. Isso foi o que recebemos do Governo Federal”, contabilizou.