Coronavírus circula no Brasil desde novembro, aponta pesquisa

Foto: Fotos Públicas/NIAID
Foto: Fotos Públicas/NIAID
(Foto: Fotos Públicas/NIAID)

Estudo recém-divulgado indica que foram descobertas partículas do novo coronavírus em duas amostras de esgoto de Florianópolis, em Santa Catarina, colhidas em 27 de novembro de 2019. O resultado consta na pesquisa “Sars-CoV-2 in human sewage in Santa Catarina, Brazil, November 2019”, realizada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pela Universidade de Burgos (Espanha) e pela startup BiomeHub. Os dados sugerem que o coronavírus esteve no Brasil antes de relatado o primeiro caso clínico da doença – em janeiro.

As informações constam na versão preliminar do artigo, distribuída pelo site MedRxiv. O material ainda será revisado por pares.

De acordo com informações do G1, essa é a amostra mais antiga do novo coronavírus nas Américas. Estudos parecidos encontraram o Sars-CoV-2 no esgoto de Wuhan, na China, em outubro; e na Itália, no início de dezembro. O novo vírus foi descrito em 31 de dezembro de 2019.

A UFSC informou que foram analisadas amostras congeladas de esgoto bruto coletadas entre outubro de 2019 e início de março de 2020. O objetivo era investigar o material como ferramenta epidemiológica.

A carga na amostra de 27 de novembro foi considerada baixa, de 100 mil cópias de genoma do vírus por litro. Amostras de 11 de dezmebro e 20 de fevereiro apresentaram amostras mais elevadas. Já em 4 de março, a carga do novo coronavírus chegou a um milhão de cópias de genoma por litro de esgoto.

Pesquisadores afirmam que não há motivo para preocupação com contaminação, porque o esgoto representa o que já está na população. Se pessoas tiverem adoecido na época em questão, é possível que tenham atribuído os sintomas a outras doenças.

(Fonte: Bahia.BA)